Problemas mais frequentes: Tumores na mão

Nem todos os tumores podem ser considerados neoplasias benignas (“câncer benigno”) ou malignas (câncer mailigno). Na verdade, tecnicamente, o termo tumor pode ser empregado para qualquer nódulo ou tumoração que tenha efeito de massa palpável.

Nas mãos e punhos, os tumores malignos são extremamente raros e são considerados diagnósticos de excessão. Muito mais frequentes são os pseudotumores ou tumores falsos que perfazem mais de 90% dos tumores que ocorrem nas mãos. Dentre eles, os mais comuns são os cistos sinoviais que podem ocorrer no punho, mão e dedos (vide o post de cisto sinovial )

O TGC, ou tumor de células gigantes é um dos tumores de partes moles mais frequentes na mão. Os locais mais frequentes de aparecimento são os dedos, junto aos tendões flexores. O tumor é de crescimento lento, mas progressivo e pode chegar a acometer toda circunferência do dedo.

O Tumor Glômico acomete a falange distal dos dedos, na região próximo a unha. Sua característica principal é uma dor que é desencadeada pelo frio, como colocar a mão numa água gelada (piscina, mar).

O diagnóstico dos tumores é baseado nos achados de exame físico, RX e RMN com contraste.

O tratamento padrão é a sua ressecção cirúrgica, intra-lesional ou marginal. O tumor pode ser analisado no intra-operatório através de uma congelação de um pequeno fragmento e análise pelo patologista. A biópsia por congelação intra-operatória é recomendada nos casos suspeitos de malignidade ou quando o tumor tem aspecto atípico. A taxa de recidiva local é variável e depende de cada tipo de tumor.

Em relação aos tumores ósseos, os mais comuns nas mãos são o encondroma, osteocondroma, cisto ósseo e o tumor de células gigantes (vide o post de tumores ósseos).

 AGENDE UMA CONSULTA

Voltar