Problemas mais frequentes: Cisto Sinovial

Os cistos sinoviais são a causa mais comum de aparecimento de nódulos ou tumorações na região do punho e da mão.

Eles nada mais são que “herniações” da sinóvia causada por uma degeneração (mixóide) de uma porção da cápsula articular do punho.

Seu aparecimento pode estar relacionado a um evento traumático em cerca de 10 a 30% dos casos, mas na maioria dos casos ocorre sem motivo aparente.

A região dorsal do punho é o sítio mais frequente de aparecimento de cistos sinoviais, seguidos pela região palmar do punho e dedos.

A história típica é de um pequeno nódulo que aparece sem qualquer motivo e vai aumentando de tamanho progressivamente. É muito comum o paciente relatar que ele diminuí quando o punho é menos solicitado e aumenta quando o paciente realiza atividades forçadas ou movimentos repetitivos.

O cisto do punho não costuma ser doloroso, com exceção dos cistos dorsais ocultos que podem provocar dor quando o paciente realiza um dorsiflexão forçada do punho. Por exemplo, ao sair de uma piscina ou realizar flexões de braço.

O tratamento varia de acordo com o tamanho e localização dos cistos. Os cistos muito pequenos (< 0,5 cm) são mas difíceis de serem puncionados e se assintomáticos, não necessitam de qualquer intervenção.

A punção de cistos maiores é factível e resolve o problema definitivamente em cerca de 50% dos casos. Ela pode ser realizada no consultório com segurança, além de ser pouco dolorosa. O cisto é puncionado diretamente com uma agulha e seringa. O conteúdo do cisto é preenchido por um líquido viscoso, amarelo claro, muito parecido com um gel. Após seu esvaziamento, a injeção de um corticóide no interior do cisto (no mesmo ato da sua punção) aumenta a taxa de sucesso em cerca de 10% e é recomendada.

Nos cistos muito pequenos ou localizados nos dedos ou palma das mãos, a punção é mais difícil e menos efetiva. Nestes casos, quando o paciente sente dor, é recomendado a ressecção cirúrgica dos mesmos. Também está indicada a cirurgia nos cistos maiores que recidivaram após punção prévia.

A cirurgia é relativamente simples e muito segura, resolvendo o problema em cerca de 90% dos casos. A taxa de recidiva do cisto operado pode chegar a 10% e pode estar relacionada a uma ressecção incompleta da base do cisto.

A ressecção artroscópica é bem indicada nos casos de cistos com um componente intra-articular importante e é uma alternativa menos invasiva à técnica aberta tradicional. Pode ser realizada com anestesia geral ou bloqueio e o paciente recebe alta no mesmo dia.

No pós-operatório, o paciente deve permanecer com o punho imobilizado por 1 semana com uma tala gessada curta ou órtese. Esforços mais intensos, como exercícios e dirigir, devem ser evitados por 3-4 semanas. O retorno gradual aos esportes, com uso da mão operada, é encorajado a partir da 4a – 5a semanas de pós-operatório. A terapia ocupacional nem sempre é necessária, mas pode ajudar na recuperação mais rápida da flexão do punho.

Os resultados da cirurgia tradicional aberta e a cirurgia artroscópica (minimamente invasiva) são equivalentes a médio e longo prazo. No curto prazo, a cirurgia artroscópica oferece como vantagem a recuperação mais rápida da força e amplitude de flexão do punho. O resultado funcional costuma ser igualmente excelente nos dois métodos, com baixas taxas de recidiva e de complicações.

 AGENDE UMA CONSULTA

Voltar