Problemas mais frequentes: Tendinite de Quervain

Tendinite de Quervain

A Tenossinovite de Quervain é causada por uma estenose no primeiro túnel extensor do punho que causa inflamação dos tendões responsáveis pela extensão e abdução do polegar e desvio radial do punho (abdutor longo e extensor curto do polegar).

O sintoma mais frequente é uma dor progressiva na borda radial do punho (próximo ao polegar), principalmente para carregar sacolas e bolsas e outras atividades que necessitem de inclinação forçada do punho. Acomete principalmente mulheres (6 vezes mais que homens) na 4a e 5a décadas de vida. A gravidez é um fator predisponente e pais de crianças de colo também tem predisposição devido ao movimento repetitivo de segurar e erguer o bebê.

O tratamento inicial pode ser feito com fisioterapia, imobilização do punho e polegar com órtese e anti-inflamatórios não hormonais. A aplicação intra-muscular de corticoide é uma alternativa à utilização de anti-inflamatórios não hormonais.

Nos casos refratários a esta primeira linha de tratamento, a infiltração local de corticóide no punho promove uma melhora em até 80% dos casos.

Se mesmo assim, os sintomas persistirem ou recidivarem, está indicado o tratamento cirúrgico.

A cirurgia pode ser realizada com anestesia geral ou bloqueio e o paciente tem alta hospitalar no mesmo dia, na maioria da vezes. É realizada uma incisão de pele transversa ou oblíqua de 1,5 cm na borda radial do punho afetado. O primeiro túnel extensor do punho e seu subcompartimento são incisados e a estenose dos tendões é liberada.

No pós-operatório, o paciente é instruído a utilizar a mão normalmente para as atividades de vida diária, mas não realizar grandes esforços por 2 semanas. Não é necessária a imobilização do punho ou da mão no pós-operatório.

 AGENDE UMA CONSULTA

Voltar