Problemas mais frequentes: Tendinite e Bursite no Ombro

As dores na região do ombro são um dos motivos mais frequentes de consulta com o ortopedista. Suas causas vão desde a artrose das articulações acrômio-clavicular e gleno-umeral, até cistos e calcificações.

No entanto, a causa mais comum de dor no ombro é a inflamação dos tendões que estabilizam o ombro, o manguito rotador. Ele é formado pela confluência de 4 tendões: supra-espinhal, infra-espinhal, subescapular e redondo menor. O manguito rotador, como o próprio nome diz, serve como um “cuff” que estabiliza o ombro quando o braço é elevado pela forte contração do músculo deltóide. Essa função é essencial para evitar que haja um choque ou impacto entre o acrômio e a cabeça do úmero. Se houver alguma disfunção músculo-tendínea do manguito, ocorrerá um impacto e inflamação da bursa e dos tendões do manguito, levando a uma bursite e tendinite do manguito rotador. Está é a famosa Síndrome do Impacto do Ombro que leva a tendinopatia do manguito rotador. Por sua vez, a bursa subacromial é uma estrutura que tem a função de promover um melhor deslizamento dos tendões do manguito rotador sob o acrômio. Portanto, a bursite do ombro é uma consequência e não causa deste problema no ombro. Ela é afetada na medida em que a cabeça do úmero se choca com o acrômio, prensando e lesando tanto a bursa como os tendões do manguito.

Se o desequlíbrio e o impacto não forem tratados, a inflamação progride para lesões ou roturas nos tendões do manguito rotador. A extensão das lesões são variáveis, desde lesões parciais longitudinais até lesões completas e transfixantes.

Os sintomas principais são a dor e fraqueza para elevação do braço para alcançar algum objeto que esteja mais alto, como num armário ou compartimento de bagagem de avião. Atividades esportivas que necessitem de movimentos de arremesso ou elevação forçada do braço também são afetadas, tais como no tênis, vôlei, handebol, natação e musculação.

A dor é mais localizada no ombro, mas pode irradiar-se para o pescoço e o braço. A fraqueza em geral é um sintoma de maior gravidade e pode indicar uma lesão do manguito rotador.

O diagnóstico é feito basicamente através dos sintomas e do exame físico específico para o ombro. Radiografias e USOM são exames fáceis e rápidos de serem obtidos e ajudam no diagnóstico. Na suspeita de outros problemas concomitantes, ou quando há possibilidade de haver lesão do manguito, a RMN é o melhor exame e demonstra as lesões com maior precisão.

O tratamento da Sd. do Impacto e da tendinite do manguito, envolvem a utilização de medicações analgésicas e anti-inflamatórias, além de fisioterapia, para alívio da dor. Isso é muito importante, pois a continuidade da dor e da inflamação enfraquecem ainda mais o manguito e pioram o impacto, funcionando como um círculo vicioso. Além disso, a dor impede uma reabilitação adequada que envolve alongamento, fortalecimento e reequilíbrio do balanço muscular do ombro.

Felizmente, na grande maioria dos casos, a Sd do impacto e a tendinite do manguito são tratadas de maneira eficaz através de medicação e uma boa fisioterapia. Nos casos mais resistentes, uma infiltração pode trazer benefícios.

Nos casos de rotura do manguito, o tratamento conservador ainda deve ser tentado, principalmente em pacientes > 50 anos, pois muitas dessas lesões são pequenas e incompletas e podem cicatrizar. Nos paciente mais jovens e ativos, a presença de roturas transfixantes do manguito (> 1 cm) com retração dos tendões, podem necessitar de reparo cirúrgico através da artroscopia de ombro.

 AGENDE UMA CONSULTA

OU UMA TELECONSULTA

11 9982 87055 (WHATSAPP)

Voltar